Apresentação: Samsung QLED TV

Foi no passado dia 7 de Abril que a Samsung fez no Palácio Nacional da Ajuda, a apresentação da sua mais recente gama de televisões QLED.  Este palco foi escolhido com um objectivo; mostrar à audiência o porquê da designação de “Televisão da Luz”, título este atribuído à nova geração das Samsung TV, devido ao brilho e experiência visual que estas proporcionam. Não confundir QLED com OLED. Apesar da semelhança no nome, estas ficam -se por aqui.

Cláudia Rodrigues, diretora de Comunicação da Samsung, afirma que “as pessoas sabem avaliar a tecnologia, sem entender exactamente o que está por detrás, mas há uma constatação inegável: a luz. E com a luz, há mais imagem, mais qualidade, mais cor”. Acrescenta ainda, “QLED significa mais do que uma evolução em TV, estamos perante um salto tecnológico, uma nova categoria de produto que acaba de chegar a Portugal. A forma como a luz atravessa o diamante é a nossa inspiração, este é o futuro da televisão”.

A Samsung define três categorias essenciais em que baseia as novas QLED TV. São elas o Q Style (toda a parte envolta no estilo e design da TV), o Q Smart (componente de Smart TV e integração com outros dispositivos) e Q Picture (Qualidade de imagem). 

As novas Samsung QLED TV, trazem de volta a tecnologia Quantum Dot, mas na sua última evolução. As TVs Samsung de 2016 que utilizavam Quantum Dot eram conhecidas pela gama SUHD. As novas partículas da tecnologia Quantum Dot conseguem melhorias na eficiência da luz, na estabilidade e espectro de cor ainda mais alargado. Os objectivos da Samsung eram claros. Melhorar todos os principais aspectos da qualidade de imagem, incluindo ângulo de visão, volume de cor, brilho e contraste. As novas Samsung QLED TV, conseguem atingir practicamente 100% no volume de cor, sendo as televisões com maior índice de percentagem de espectro de cor segundo a Verband Deutscher Elektrotechnieker, umas das mais relevantes associações técnico-científicas na Europa. A Samsung continua a apostar em painéis VA, sendo que um dos maiores benefícios relativamente aos painéis IPS são os contrastes, derivado da capacidade de representar pretos mais expressivos e negros, mas em contrapartida com piores angulos de visão. A Samsung tem vindo com cada geração a minimizar no entanto esta limitação, sendo que os actuais painéis apresentam os melhores angulos já visto até  hoje num painel VA.

A Samsung este ano, resolveu lançar em toda a gama, a nível de iluminação dos painéis a tecnologia Edge Lit, não havendo nenhum modelo FALD (Full Array Local Dimming), o que poderá limitar perante a concorrência (leia-se Sony) a corrida para a melhor imagem HDR do mercado. Isto porque existem limitações de luz quando esta é emitida nos bordos da televisão em comparação com luz directa por trás do painél. Um dos motivos que me leva a crer que a Samsung não recorreu ao FALD deve-se ao facto desta solução aumentar significativamente o volume da televisão. O modelo de topo da Samsung do ano passado (a KS9800) era FALD.

Não obstante esta escolha da Samsung, as QLED expostas mostravam uma imagem fantástica, com uma qualidade tanto de brilho, como de cores fenomenal. Infelizmente a Samsung ainda não saltou para o comboio do Dolby Vision, mantendo o suporte de HDR 10 e HLG.

O interface Samsung Smart Hub foi expandido para oferecer uma experiência ainda mais intuitiva e unificada, directamente através da nova Samsung QLED TV. O Samsung One Remote Control (controlo remoto único), agora melhorado, suporta agora mais dispositivos e oferece capacidade de controlo por voz em todas as funcionalidades da Smart TV. Lado a lado com a recente Smart View App – disponível em dispositivos móveis Android e iOS – os utilizadores podem usufruir de um interface da Samsung Smart Hub personalizado.
Adicionalmente, o serviço “TV Plus” (TV Mais) oferece agora a mais fácil e rápida forma de encontrar, adquirir e visualizar os últimos filmes e séries em 4K nas TV da Samsung. O novo serviço “Music” (música) também permite uma procura mais fácil e a identificação de canções ouvidas em filmes e espectáculos televisivos que estejam a ser exibidos na sua Samsung QLED TV. Outra novidade é o novo comando que permite o controlo de múltiplos dispositivos. Com um design muito simplista permite ter acesso a quase todas as funcionalidades, seja na exploração do sistema operativo Tizen da TV ou nas boxes, ou mesmo em consolas. O design do comando é fantástico, todo em metal e tem um excelente tacto.

A nível de design, este ano a Samsung introduziu novos elementos para possibilitar a melhor adaptação dos equipamentos a qualquer casa, independentemente da decoração interior da mesma. O denominado “cabo de conexão invisível” ajuda a gestão de cabos e evita emaranhados desagradáveis, tudo com um refinado sistema de cabo único. Os consumidores podem agora definir o seu espaço apenas com um único cabo ótico que trata da comunicação entre todos os dispositivos, aliviando o espaço de sala anteriormente ocupado por caixas, cabos, fios e/ou equipamentos externos

A Samsung introduziu igualmente a “No Gap Wall-mount” (Suporte sem espaço entre a parede e a televisão), para montagem da televisão na parede, mais perto do que nunca desta e através de um processo de instalação que demorará cerca de 15 minutos. Para quem não pretenda montar a televisão na parede, estão disponíveis diversas bases estilizadas: desenhado como um cavalete, a base denominada “Studio Stand” foi pensada para qualquer espaço de inspiração artística, enquanto a base “Gravity Stand” permitirá a fácil rotação da TV e a otimização do ângulo de visualização. Assistimos à instalação da base e a facilidade de alinhamento posterior da TV, pois o suporte permite um ajuste rotativo para posteriormente à colocação da base na parede, podermos corrigir algum problema de alinhamento. Este suporte permite ainda angulos para orientar a TV verticalmente.

Resumindo, a nova linha QLED da Samsung etá melhor que nunca, com uma qualidade de imagem excelente, e um design muito apelativo. No entanto apelidar a tecnologia QLED de revolução parece um pouco exagerado da parte da Samsung, sendo mais uma evolução da tecnologia Quantum Dot. A forte concorrência da tecnologia OLED, faz com que a evolução no mercado das televisões esteja mais competitiva e incendiada que nunca. 

Hugo Marques

Autor: Hugo Marques

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Hugo Marques

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar