Bell&Ross lança o BR-X1 RS17 Skeleton Chronograph em parceria com a Renault Sport F1 Team

A Fórmula 1, classe supra do mundo automobilístico, teve inicio e isso significa que pode ser uma época que se avizinha como ímpar, face às muitas novidades, muitos desaires, muita cor e muita mudança. Mas acima de tudo existem pilotos, uns que chegam, outros que permanecem ou que retornam, ao qual se adiciona as ‘máquinas’, vulgo carros, e glamour. E se falamos de glamour, de marca e mudanças, falamos em parcerias idem. E é aqui que entra a Bell&Ross. 

Jovem, sofisticada, cara, bela, luxo, design, tudo adjectivos de uma marca que ‘nasceu’ em ideia pelos meados de 1990, mas que surgiu em forma em 1994, fruto da paixão de uma equipe de designers e especialistas na fabricação de instrumentos aeronáuticos. Objectivo: desenvolver e fabricar relógios exclusivos, e quiçá conquistar um lugar nesse mundo da relojoaria. 

A juventude da marca não diminuiu a qualidade e força com que se atreveu a inovar no mundo da relojoaria, em muito graças a quatro princípios: legibilidade, funcionalidade, precisão e total resistência à água. 

A Bell & Ross surpreendeu e criou uma imagem, uma identidade forte no mercado. E é essa a história, que podemos dizer feliz, de uma marca que conquistou a aviação, e que se junta agora ao restrito mundo da Fórmula 1 através da parceria com a equipa Renault Sport F1 Team. É uma parceria oficial, o que lhe dá o direito se der ostentada em pormenor em toda a forma do carro. Sorte, dinheiro ou negócios. Atrevia-me a dizer um pouco de tudo, mas principalmente pervicácia, que significa qualidade, que persiste ou não desiste da sua intenção ou vontade. E Bell&Ross não desistiu, inovou!

Muito conhecida pela sua inspiração na aviação, vincou-a com o lançamento do relógio piloto BR01 em 2005, um relógio que trouxe a forma quadrada e uma ideia, ‘transformando’ a cabina de um avião em um relógio de pulso, a inspiração. Com esta recente parceria ganha uma nova inspiração… e cor. Ganha maior predominância o amarelo, em muito pela história com a marca automóvel que ‘pinta’ desde o ano de 1977.

Esta parceria significa o ‘juntar’ de duas marcas tão distantes quando ímpares, a Renault com lugar marcado na história automóvel com 30 anos de experiência, onde se inclui 650 Grande Prémios 170 vitórias e 12 títulos, e a Bell & Ross, com uma imagem intocável e já conquistada no mundo da relojoaria de luxo.

O resultado desta parceria ganhou forma numa coleção de três relógios, e em primeira mão o BR-X1 RS17 Skeleton Chronograph. É enorme e muito masculino, 42mm em forma de uma caixa quadrada, pelo que significa ter pulso para usar, perdoem-me as senhoras. 

A inspiração está inteiramente no novo volante do Renault F1, e é clara na caixa do BR-X1 que, tal como o volante, possui uma construção exímia e um misto de funcionalidades e qualidades, como nos bolides.  Toda a construção surge numa combinação de fibra de carbono (intitulada de Carbone Forgé) juntamente com titânio ou cerâmica, materiais tão nobres como robustos, além de comuns e presentes no volante do carro de F1 Renault RS17. Todos estes materiais e processos foram revistos, desde concepção, fixação ou acabamento para atingir a qualidade e robustez, resistência a choques ou a estanquidade inerente. E este ponto era um dos quatro princípios, resistência à água, pelo que o X1 também tem toda a periferia, e botões, revistidos a borracha,  que lhe confere a consequente capacidade para atingir os 100m de profundidade.

Ao centro toda a informação pretende ser visível e notória, com números enormes a ganharem contraste e a aumentarem a legibilidade sobre o fundo escuro, ou nas cores chamativas. Não estão ali inocentemente, mas a invocar os botões ou funções do volante e as suas cores, que no bólide permite identificar funcionalidades, aqui neste BR-X1 permite uma leitura da hora rápida e precisa. As funções de hora, cronógrafo, data, segundos ou reserva de marcha têm cada uma a sua tonalidade específica, mas  particularmente clara e fácil de descodificar, o que torna a leitura mais fiável e imediata.

Outra ajuda de nota para uma leitura fácil, e de grande ajuda na hora nocturna, é a inclusão do elemento Super-LumiNova que preenche os ponteiros das horas e dos minutos, concedendo total vislumbre sobre toda a caixa. Algo que admiro é a denominado mecanismo esqueleto, onde vai buscar o nome Skeleton, e que possibilita ver através dos mecanismos, rodas dentadas em movimentos e perfeita harmonia, tudo sob a protecção do vidro de safira. 

O aro dispõe de uma escala taquimétrica. Este elemento de medição destina-se a calcular as velocidades em pista. Está dividido em diferente segmentos horários, que correspondem cada um a uma cor, facilitando a leitura do tempo cronometrado. Os ponteiros do cronógrafo apresentam-se a amarelo, a data a vermelho, o ponteiro “trotteuse” dos segundos a verde e o ponteiro das horas a branco. Este último também é revestido a Superluminova, o que garante uma excelente legibilidade a qualquer hora do dia.

Todos os pormenores do BR-X1 cingem-se a pormenores do volante, como é exemplo os botões de cronógrafo basculantes amarelos, encimados por pequenas placas inspiradas directamente nas patilhas de mudança de velocidades no volante dos Fórmula 1. Possuem uma inserção ergonómica para o polegar, no lado esquerdo da caixa, de modo a facilitar o manuseamento.

E como tudo neste BR-X1, resta a qualidade das braceletes, num misto de originalidade e conforto através de uma combinação entre borracha de fibra de carbono, para um visual extremamente desportivo.

 

Óscar Rocha

Autor: Óscar Rocha

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Óscar Rocha

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar