Canon mostrou a fantástica EOS 6D Mark II

Mais um evento da Canon, mais um sítio de excelência, mais uma vista maravilhosa, muita cor e detalhe, tudo o que a fotografia deve ter. Fomos convidados para conhecer o portfólio da marca para a época que se avizinha e fomos recebidos com equipamento, e muita simpatia. 

O mote foi a apresentação da gama Canon para este ano, focando-se claro numa estrela, a EOS 6D MarkII.

Esta nova 6D Mark II ofuscava quase os restantes equipamentos. Passaram 5 anos desde a sua antecessora e mantêm aquele design próprio, característico e ergonómico das DSLR da marca, mas com algumas novidades. Pela primeira vez incorpora um ecrã tátil de 3” (Clear View II TTF) de ângulo variável, que se provou ser de uma ajuda imensa para ângulos diferentes, difíceis ou porque não, selfies. A versatilidade de um ecrã com estas características é enorme, e propícia a dar largas à imaginação.

Mas retomemos ao corpo, que imperativamente é selado, ou não fosse uma máquina polivalente e apta a todo o tipo de situações. E temos de admitir que, uma full-frame que não pudesse apanhar pó ou até alguma água, limitaria os profissionais ou aspirantes. O corpo é produzido numa liga de magnésio, material que alia a robustez à leveza. É depois selado, com especial cuidado a zona do botão obturador, slot para flash  todas as entrâncias do corpo, seguido do revestimento a borracha, que não só ajuda a acrescentar mais isolamento como para ajudar ao grip e manuseamento.

O desempenho tem um a importância fundamental, e a Canon dotou a nova EOS 6D Mark II com o novo sensor de 26.2MP, em sintonia com o já firmado processador de imagem DIGIC 7. As novidades extendem-se aos valores ISO, agora capazes de superar os 40.000, um sensor RGB + IR e um sistema Dual Pixel CMOS AF ao qual junta 45 pontos cruzados, distribuídos pelo visor num padrão amplo, que aumenta a precisão no foco. Nota que o foco pode ser alterado consoante a necessidade ou objetivo. Podemos tocar num ponto do ecrã onde está a área que queremos focar, e recorrendo ao sistema Dual Pixel CMOS AF, foca quase de modo imediato e preciso, mesmo em movimento, onde junta aptidão para seguir o objeto escolhido.

Tem ainda a capacidade para fotografar a 6,5 fotogramas por segundo em modo contínuo, tão útil quando se fotografa qualquer variação de deporto, meio ambiente e animais, ou as nossas crianças irrequietas. 

A Canon também não se relegou na conectividade, e a fazer inveja às maiores 5D, dotou a 6D com GPS interno, o tradicional WiFi integrado, e novas possibilidades de controlo e visualização em modo remoto com o smartphone, seja através de Bluetooth 4.0 ou NFC. A EOS 6D inclui entrada para cabo USB, HDMI e micro, este separado. É um pormenor, mas bem pensado, que permite utilizar apenas a porta para micro sem deixar abertas e sujeitas a poeiras e água as restantes. Ou vice versa.

Existem apenas dois defeitos aparentes, o primeiro no campo vídeo, que estranhamos confesso. A decisão de não se render aos encantos do 4K, sendo que quase todas as marca do mercado já o fazem, inclusive smartphones, e a nova 6D Mark II fica pelos vídeos em 1080p a 60fps por segundo. O segundo defeito… é não ser minha!

Óscar Rocha

Autor: Óscar Rocha

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Óscar Rocha

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar