Ducati Panigale 1299 Superleggera 2017. Recandidatura para a melhor moto do planeta

A Ducati não pára o desenvolvimento do bicílindrico desmodrómico, que nesta iteracção atinge os 215cv às 11.000rpm e 146Nm de binário, tornando-se o bicílindrico mais potente de sempre a ser produzido em massa. A Panigale R apresentada o ano passado para entrar na categoria Superbike, era baseada no motor de 1198cc que equipava a anterior Superleggera. A versão deste ano recorre ao mais recente motor 1285cc Superquadro.

O principal objectivo da Ducati, era mais uma vez aumentar a potência, reduzindo o peso. Para esse efeito, a nível mecanico, a nova Superleggera apresenta uma nova taxa de compressão de 13.0:1 em vez dos anteriores 12.6:1, novas válvulas de titânio de maiores dimensões, uma nova árvore de cames revista com maior abertura das válvulas, e uma nova cabeça de motor com os canais de escape e admissão redesenhados. No constante ataque ao peso do conjunto, o quadro, jantes e carenagens, são todos eles em fibra de carbono para um peso total do conjunto de 167kg em ordem de marcha (156kg a seco)!

No motor a Ducati conseguiu ainda emagrecer 2kgs, aumentando 10cv relativamente à versão normal da 1299. A redução aqui foi conseguida, numa série de pequenos pormenores, desde o volante do motor, ao revestimento interno dos cilíndros, a todo o sistema de escape e admissão.

Na parte ciclística, referência para a utilização integral de suspensões Öhlins, com o amortecedor traseiro a utilizar uma mota em titânio. 

A Ducati afirma que esta é a mota tecnológicamente mais avançada do planeta e apresentam argumentos de peso para ostentar esta afirmação. Se todos os atributos, ciclísticos e mecanicos não eram suficientes, então a nível electrónico esta moto vem carregada de tudo o que já alguma vez foi inventado para um motociclo. 

Um novo sistema de medição IMU (Inertial Measurement Unit) de seis eixos, com um novo algorítmo que calcula todas as variáveis possíveis, como inclinação em curva, inclinação em cavalinho, posição do acelerador, rotação do motor, escorregar lateral, velocidades de ambas as rodas, modo de condução (sport, normal, etc) entre outras possíveis condições e analiza estes dados milhares de vezes por segundo para garantir que a resposta será a ideal em qualquer que sejam as condições.

Existem 3 níveis de controlo de tracção, ABS, anti-cavalinho, launch control, engine brake control, quick shift bi direcional (funciona a subir ou a reduzir mudanças).

Todo o pacote tecnológico envolvido nesta mota é mais do que o comum mortal pode pedir, mas a Superleggera sempre foi mais que um tradicional produto de massas. A anterior Superleggera tinha um preço aproximado de 70.000€, por isso será de esperar que a versão desta ano se apresente com valores semelhantes.

Hugo Marques

Autor: Hugo Marques

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Hugo Marques

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar