Novo Lexus IS300h – arrojo e conforto

A Lexus passou a ser uma marca cujo automóveis poderiam ser um sinónimo de híbridos. Todas as suas gamas estão envoltas neste novo conceito, que muito tem prosperado no mercado, e espelham os 40 anos de desenvolvimento tecnológico da Lexus. 

Todo esse trabalho resultou no primeiro híbrido da marca, um SUV pioneiro no mercado e datado de 2004. Em 2006 lançou o primeiro híbrido de tracção traseira, e em 2007 o primeiro veículo com tracção integral híbrido. Podemos afirmar que apostou, arrojou, criou normas, expectativas e um legado.

O que se ‘espreme’ de todo este trabalho é o que realmente importa, números. A Lexus possui uma percentagem de mercado no segmento dos híbridos em volta dos 37%. , conseguiu almejar mais 4% de vendas em Portugal e subiu 17% na Europa. Foi um ano de recordes, a  nível nacional e europeu.

Mas hoje o destaque da apresentação fugiu inteiramente para o novo IS, um carro criado para conquistar a Europa. Foi em  1999 que a Lexus decidiu transpor fronteiras e trazer para o velho continente a sua visão do que seria um automóvel. Criou o IS200, um modelo baseado nos seus congéneres americanos mas à medida europeia, mais pequeno mas possante, e provido de desempenho. A gama IS continuou a evoluir e a adaptar-se ao mercado europeu, principalmente com outras opões de combustão. Singrou e, em território nacional, o IS é o modelo preferido da Lexus, e mais vendido também.

A evolução é notória, sendo que se transfigurou, mudou no design, acrescentou equipamento e sobretudo motor. Estas novas versões, sim há duas, abandonam totalmente as outras variantes de combustão e baseiam-se agora unicamente no modo híbrido.

Os modelos são designados como IS300h Luxury e F Sport, e a diferença para a primeira geração é total.

É um carro, certo, possui quatro rodas e espelhos, chapa e equipamento, mas apenas isso. Toda a linha é agressiva e marcante, seja pelos faróis bem vincados na frente, pela iluminação LED  independente a ‘rasgar’ a cor ou a grelha, mais proeminente.

O cuidado da marca no design é surpreendente… e por vezes imperceptível. Mas é o pormenor. A exemplo, na versão F Sport a grelha frontal possui um desenho entre arestas elaborado pelo L da Lexus, enquanto na parte mais baixa já apresenta o F da versão F Sport.

Todo o exterior é uma combinação de linhas agressivas que se complementam, e ecabam, em vértices nos faróis ou em pormenores. 

Já o interior é exímio, todo ele executado por verdadeiros mestres, artesão na arte da costura que minuciosamente costuram as peles dos bancos e revestimento. Toda a pele inclui um novo tratamento, logo textura e conforto. A madeira, utilizada nas versões  mais confortáveis, é cortada através de um processo (também) a lazer e em parceria com a  Yamaha. Mas para outros apreciadores de detalhe, existem inúmeras possibilidades, seja madeira, alumínio, carbono, etc…

 O nível de tecnologia transcendeu a própria marca, que conseguiu impor e desenvolver tecnologias e conceito. 

O sistema de luzes faz jus a esse conceito, e junta a tradição hospitaleira japonesa, que gosta de receber. O Lexus IS300h gosta de receber, e o modo único é acender as luzes e dar as boas vindas no ecrã interior, apenas com a nossa aproximação ao veículo.

Os manómetros da versão F Sport são sui generis, cativantes, com a característica diferente de mexer. Ao aceder ao computador de bordo para ver informação, basta clicar no botão direito do volante, e o manómetro mexe. Sim, o velocímetro digital e toda a parte física muda de sítio deixando à mostra toda a informação pretendida. Inclui um novo posicionamento de alguns comandos e também um novo, e generoso, ecrã multimédia com toda a informação e entretenimento.

Possui o novo modo inteligente, que lhe permite ler bermas de estrada (e contraria o volante), faz leitura de peões ou objectos e utiliza a travagem quando necessário, ou a câmara frontal que também lê sinais e lança avisos.

A direcção está mais precisa e funcional, fruto de suspensões revistas, com novos componentes de baixo de peso e optimização,que fazem uma melhor leitura de irregularidades ou tipo de piso, e pela nova barra estabilizadora.

O coração que é o motor é unicamente híbrido, conjugando o motor a gasolina de quatro cilindros e 2,5 litros com um motor eléctrico. O silêncio do modo eléctrico é viciante, mas a ‘rouquidão’ do motor a combustão quando no modo sport é cativante, e empolga na altura de carregar no acelerador… A marca anuncia consumos de 4,3 l/100 km em ciclo combinado.

A importância que a marca proposita no mercado alarga-se à manutenção e, a partir de agora, também o financiamento. Desta forma o cliente pode ter soluções mais convidativas, e ajustadas aos modelos Lexus.  Esta informação ainda foi ‘ténue’, mas promessas de valor ajustado, pelo que iremos actualizando a informação.

O preço a que é proposto começa nos 43 700 euros mas, a recordar, é sempre full extras. E este é o conceito Lexus, ‘oferecer’  tudo ao cliente, o prazer de condução, conforto e entretenimento. 

 

 

Óscar Rocha

Autor: Óscar Rocha

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Óscar Rocha

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar