Sony HT-MT300, uma barra de som que se coloca debaixo do sofá

A marca japonesa ’emprestou-nos’ a sua nova barra de som HT-MT300, um conjunto composto por uma pequena coluna e um subwoofer versátil. Não só nos permite usufruir daquele ‘boom’ de som, como possui a característica diferente de ser colocado onde se quiser, mesmo debaixo do sofá. Para isso vale-se do seu design esguio, fino. Mas muito elegante.

Comecemos pelo princípio. Existe um mercado abrangente e praticamente para todos os gostos no que toca às sound bar, e esta Sony HT-MT300 vem enquadrar-se na procura daqueles que simplesmente procuram algo que funcione, e soe, bem. Para além do design vale-se da sua forma compacta que lhe permite ser colocada em praticamente qualquer sítio, e um subwoofer versátil que se conecta sem fios à barra de som e pode ser usado até debaixo do sofá de forma a optimizar e sentir ainda mais a propagação das ondas do bass.

Design

A HT-MT300 vem dividida em duas partes: a compacta sound bar que mede 50 x 5,4 centímetros (largura x altura) e o subwoofer medindo 9,5 x 38,3 o que deverá ser suficiente para caber debaixo da maioria dos sofás. Está disponível em apenas duas cores, preto carvão ou branco creme, cores neutras e não brilhantes, pelo que ajuda a harmonizar-se no ambiente onde se inserem. Como já foi dito, a barra é tão compacta que pode colocar-se em praticamente qualquer lado. Tem uma hábil textura a imitar pele o que lhe acentua o apecto premium. Na parte superor pode encontrar botões sensíveis ao toque para controlar as várias funções como volume ou o tipo de entrada, e uma série de LED que mostra modo e exactamente que tipo de entrada é seleccionada. O comando da própria HT-MT300 é soberbo comparado a outros que acompanham outras sound bar.

Configuração

A instalação é rápida e sem grandes complicações. Basta escolher o tipo de conexão da televisão que pretende conectar a HT-MT300 (seja por cabo analógico ou óptico),  ligar a barra de som e o subwoofer à corrente, e emparelhar ambos apenas com um toque no botão Secure Link. Por fim, basta definir a sua televisão para alterar a saída de som para a HT-MT300 ao invés das colunas da TV. 

Na parte da conectividade lamentamos que a Sony não opte por colocar uma conexão por HDMI ARC, o que permitiria uma comunicação mais intuitiva… mas poderia encarecer. Isto significa que a HT-MT300 não liga ou desliga e não pode ser controlada com o comando da televisão. Por sua vez possibilita o emparelhamento com smartphones ou tablets por bluetooth ou NFC, alargando o leque de opções de uso. 

Performance

A Sony HT-MT300 mostra qualidades de peso, bem mais do que a mesma aparenta. Pegamos no exemplo de uma cena do jogo, o eco do “House of Flying Daggers”, onde o som do feijão a bater nos tambores são reproduzidos vividamente graças ao subwoofer que nos coloca no centro da acção.
Já a cena do desembarque na praia de Omaha no “Saving Private Ryan” não consegue reproduzir todos os sons com detalhe. O som “atarefado” com muitos zunir de balas faz com que a barra não seja capaz de os realçar. Isto em parte, pode dever-se ao facto da barra ser tão compacta que os seus woofers trabalham tão perto um do outro que a própria física vai contra os mesmos não conseguindo assim fazer uma correcta separação stereo. Assim sendo, o soundstage é pouco amplo.

A HT-MT300 consegue ainda assim boas prestações tocando música. As principais músicas para testar foram a “Get Lucky” dos Daft Puck, “Tin Pan Alley” por Stevie Ray Vaughan, “The Hills” do de Weeknd, “Brass Monkey” dos Beastie Boys e mais umas quantas músicas. A ideia foi ver a capacidade da HT-MT300 para tocar músicas com um amplo espectro dinâmico assim como conseguiria gerir o bass.

Aqui afirmamos que o subwoofer mostra melhor performance debaixo do sofá. Inicialmente o mesmo estava mais afastado e de frente para nós, e só mostrou o “soco” do bass que se procurava quando foi posto debaixo do sofá. É certo que ele faz o trabalho que lhe compete, mas é debaixo de um objecto que se consegue potenciar a vibração dos graves. São os limites da própria caixa do woofer. E é ‘lógico’: se optamos por esta HT-MT300 temos de ser cientes que a ‘magreza’ tem prós e contras. A forma da caixa do woofer permite possibilidades diferentes, mas é debaixo do sofá que está o local de eleição, onde podemos sentir aquele tremular, vibração e bass. Aí podemos ouvir as vozes, ruídos ou pormenores saídos da barra colocada à nossa frente e sob a TV, e sentir nos pés o bass, o poder deste subwoofer. Não consegue fazer milagres quando colocado num espaço vazio, porque o volume da caixa não consegue toda a acústica. E isso importaria realmente se não fosse o preço ou a faixa onde se insere. Nesta faixa de preços a HT-MT300 tem características mais que suficientes para se impor contra os rivais.

Como conclusão existem muitos fatores em que a Sony HT-MT300 pode agradar. Gostámos do formato compacto e de toda a harmonia do conjunto, a barra em junção com um subwoofer sem fios que pode ser colocado debaixo do sofá para sentir aquele kick adicional do bass. Uma sound bar “entry-level” para salas e TV’s pequenas que faz muito bom trabalho a reproduzir filmes e música, pecando no soundstage e nas limitações do som surround pelo formato 2.1. Mas pelo preço, pela leveza do conjunto, a usabilidade e conectividade, aliadas às funcionalidades que a Sony HT-MT300 nos oferece, é para grande parte a vencedora, porque mantém as coisas simples e concentra-se naquilo que importa: som e facilidade de uso. 

Óscar Rocha

Autor: Óscar Rocha

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Óscar Rocha

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar