Teste: Samsung S8 plus. A nova referência?

Os smartphones tornaram-se uma comodity, deixando de ser apenas um bem essencial para serem também um instrumento de moda. E como qualquer instrumento de moda, o design e as características fazem parte do DNA que provoca o desejo e a popularidade. O Samsung S8 e S8+ são a pura encarnação de um objecto de desejo. Há milhares de smartphones. A maior parte serve o seu propósito como telemóveis evoluídos, mas nenhum o faz com o impacto dos novos S8. 

E resumindo todo este teste a uma simples palavra: Fabuloso

Após ter passado as últimas duas semanas com o S8 plus, e não sendo o maior apreciador do software TouchWiz da Samsung, admito que fiquei rendido às qualidades do S8. Não existe nenhum software que tenha corrido no S8 que tenha sentido qualquer tipo de lentidão. Toda a experiência de utilização é sempre rápida e instantanea. O ecrã é maravilhoso e não consigo refrear-me de o dizer centenas de vezes. Tudo fica melhor neste ecrã. Os contrastes, as cores, o brilho… Não sei porque nesta altura do campeonato todos os telemóveis não vêm com um ecrã AMOLED. Outro atributo fascinante do S8 é o seu design curvo. O impacto visual é imediato, fazendo com que mesmo quem não ligue muito a tecnologias vire a cabeça para ver que peça escultural estamos a segurar. 

Com esta introdução, quero eu dizer que o Samsung S8 é um telefone perfeito? Não. Existem alguns pontos que sendo menores, poderiam ser melhorados. Mas vejamos então todos os pontos do Samsung S8

Design – Com 6.2″ de diagonal, o S8+ tem um dos maiores ecrã disponíveis, no entanto, sente-se pouco maior que um LG G4 de 5.5″. O facto da Samsung ter conseguido criar um dispositivo cujo ecrã ocupa 83% das dimensões é espantoso. Este smartphone leva ao limite os rebordos do ecrã e elimina practicamente toda a zona destinada aos botões e sensores/camara. O resultado é um telefone incrivelmente atraente devido ao efeito do ecrã curvo, à maneira como a Samsung esculpiu o telefone, e à total ausência de rebordos e arestas. Este é também o smartphone mais agradável de segurar e manusear que já usei. No entanto esta agradável obra de arte em forma de “sabonete” também parece que nos quer saltar das mãos e o facto de todo o telefone ser ecrã, as consequências de uma queda podem ser mais dispendiosas que num tradicional telefone. Pessoalmente acho o Samsung S8+ o smartphone mais bonito e elegante do mercado.

Do lado esquerdo dispomos então dos tradicionais botões de volume e a meio o botão do assistente Bixby. Do lado direito temos o botão de power. A traseira continua o design da frente com os cantos arredondados e com a camara traseira a ocupar o lugar central, tendo o sensor de fingerprint sido desviado para o lado direito

Ecrã – Com um ecrã AMOLED com resolução de 2960×1440 e um formato de 18.5:9 ao invés dos tradicionais 16:9, é sem dúvida o melhor display que já tive a oportunidade de utilizar. Uma curiosidade é que com o intuito de poupar bateria a resolução prédefinida de fábrica ser FHD+ (2220×1080) ao invés de WQHD+ (2960×1440), o que devido à qualidade do ecrã não salta de imediato à vista.

Uma rápida navegação nas definições e facilmente activamos a resolução nativa. Os pretos são perfeitos, os contrastes são perfeitos e a capacidade de segundo a Samsung este ecrã conseguir atingir +1000 nits de brilho e conseguir cobrir 100% da gama de cor DCI-P3, garantem que a qualidade de imagem é nada menos que espectacular. O S8 consegue ser um dos melhores smartphones para utilização na rua com dias soalheiros, devido ao brilho que consegue proporcionar. O facto da imagem se prolongar na curvatura nas laterais, provoca a impressão que todo o telefone é um gigantesco ecrã infinito. Sem dúvida cinco estrelas na qualidade do ecrã, o qual passa a ser a actual referência. 

Software – O S8 vem com o Android 7.0 e com a Shell da Samsung Experience 8.1. Desde o Samsung Galaxy S6, que o TouchWiz tem vindo a sofrer melhorias significativas e esta é a melhor versão até a data, sendo a mais costumizável e menos intruziva de todas, no entanto para quem está familiarizado com o Android original, exige alguma habituação. Os menús tem uma configuração própria da Samsung e se bem que a maior parte das configurações está onde é suposto, algumas outras é necessário recorrer à pesquisa para as encontrar. Os icons também mudaram e deixaram de ter o aspecto cartoon que antes tinham e passaram a ser mais estilizados. Como já tem acontecido com outros fabricantes, o Apps Button (Icon das aplicações) foi removido tornando toda a experiência mais “Iphone”, mas felizmente é possível repor o mesmo nas configurações. Novidade agora é o assistente Bixby, que inclusive tem um botão dedicado para o invocar. Para a sua configuração é necessário ter uma conta Samsung e fazer a respectiva associação. Acho que o Bixby sente-se ainda inacabado e considero neste momento uma melhor experiência utilizar o Google Assistant. É uma pena que o botão associado ao Bixby não possa ser configurado para outra funcionalidade. Outra novidade prende-se com o DeX, que basicamente transforma o S8, em um portátil onde podemos utilizar um monitor, teclado e rato. Para esse efeito temos de adquirir a dock DeX. Uma vez que tenhamos todos os periféricos conectados à dock, basta-nos ligar o telefone ao DeX, e somos brindados com uma versão “desktop” do Android no monitor. Um dos pontos negativos que verifiquei no S8, foi o sensor fingerprint. Não só é lento e tem uma taxa de sucesso de 50% a desbloquear o telefone, como está numa posição que por mais que o usemos não nos habituamos. Como o telefone não é pequeno, o número de vezes que acabamos por ter de o virar e confirmar se estamos a colocar o dedo no sítio correcto acaba por estragar um pouco a experiência de utilização. Podemos optar pelo método de reconhecimento facial, mas não é o mais seguro, pois é possível com uma foto da pessoa desbloquear o telefone. O reconhecimento de iris mostrou ser ainda mais lento que o fingerprint, por isso acabei por utilizar este último.

Processador/Performance – O S8 para a Europa vem com o processador desenvolvido internamente na Samsung (Exynos 8895) ao invés do Qualcomm 835 para o mercado norte americano, no entanto a performance é muito similar. Trata-se de um processador octa core, com 4 processadores de alta performance que atingem 2.3Ghz e 4 processadores de baixa performance e menor consumo que atingem 1.7Ghz. Como já referi, o S8 é um dispositivo incrivelmente rápido e nada que tenha testado provocou algum tipo de lentidão. No Antutu atingiu o valor mais alto que vimos num smartphone. Acho que os números falam por sim.

Memória/Storage – O S8 vem com 4GB de RAM e 64GB de espaço de armazenamento. Embora exista um modelo com 6GB de RAM e 128GB de espaço de armazenamento, este modelo é especifíco do mercado Asiático, mas visto que o S8 tráz suporte de Micro SDCard, não vejo a necessidade de um modelo de 128GB, com um acréscimo de preço que daria para comprar 3 ou mais SDCards de 128GB.

Conectividade – Outra coisa não seria de esperar do novo topo de gama da Samsung, é o suporte de todas as mais recentes tecnologias no mercado. O conector é USB tipo C, vem com Wi-Fi dual band 11ac, GPS, Bluetooth versão 5.0, NFC, e modem com LTE Cat 16.

Camara – A Samsung não entrou na corrida de subir os megapixels como alguns concorrentes. A camara traseira existente no S8 é como o S7 uma camara de 12mp, com o suporte de abertura f1/7, estabilizador óptico e gravação de vídeo em 4K a 30fps e 1080p a 60fps. No campo da camara a Samsung fez um trabalho de louvar, pois o software que acompanha o S8 é fenomenal, tendo a capacidade de configurar centenas de definições e criar desde efeitos e filtros a modificar configurações como abertura, exposição, formatos ISO, etc. Para os amantes de fotografia e que andam constantemente com os seus smartphones a registrar tudo o que podem, o S8 fará as delicias com a qualidade das fotografias. A camara frontal recebeu uma actualização e é agora de 8 Mp com estabilizador óptico, algo que é raro ver-se numa camara de selfies. Tiramos algumas fotografias para demonstrar a capacidade impressionante da camara deste smartphone. Uma das que mais me agrada é a capacidade de tirarmos fotos em multifocus e posteriormente escolhermos se querermos o foco no objecto frontal ou na área posterior. Outra das áreas onde este smartphone se distingue é na capacidade de tirar fotos com pouca luz e sem utilização de flash. A qualidade das fotos em ambientes de pouca luz sem nenhum tipo de edição é de nos deixar sem palavras.

 

Bateria – O S8 vem com uma bateria de 3000mAh, o que para a maioria das situações aguentará perfeitamente um dia intensivo de utilização. Além do mais a Samsung apetrechou o S8 com algumas funcionalidades de poupança de energia que conseguem um excelente resultado. Em uma utilização normal partindo de uma carga completa pelas 7h da manhã, no fim do dia a bateria rondava os 50-60%. São resultados excelentes e que provam o quão optimizado está este smartphone. As únicas vezes que a carga não aguentou até ao fim do dia, foi quando houve um nítido abuso de jogos e Youtube. Mesmo assim o S8 nunca ficou sem carga antes das 17h. O carregamento do zero aos 100%, demorou 81 minutos utilizando o carregador que vinha na caixa. Fizemos um teste utilizando a resolução 2220×1080 vs a 2960×1440 com um vídeo em full screen e com o brilho no máximo. Na resolução 2220×1080 ao fim de 60 minutos de vídeo a bateria passou dos 100% para os 95% e na resolução 2960×1440 a baterial desceu dos 100% para os 92%. Resumindo existe uma diferenca de consumo mas que não é significativa. No entanto e visto que poucas pessoas conseguirão notar diferenças entre estas duas resoluções poderá fazer sentido utilizar a resolução FHD+ (2220×1080) no dia a dia. Resumindo a bateria do S8 plus provou ser excepcional e junta mais um atributo positivo a este fantástico dispositivo.

 

Veredicto – O Samsung S7 já era um dos melhores smartphones do mercado. Com o S8/S8+ a Samsung veio refinar e ainda melhorar um produto que consegue sem sombra de dúvida posicionar-se como um dos melhores smartphones do momento. A experiência de utilização não é perfeita, mas o conjunto tem tantas e tão boas qualidades que rápidamente nos esqueçemos dos “defeitos”. Não nos podemos esquecer da especificação IP68 que o torna resistente à água. O Samsung S8+ recebe o título do melhor telefone por nós testado e uma recomendação estrelar.

Qualidade de construção – 10

Ecrã – 10

Camara  – 10

Performance – 10

Duração da bateria – 9

Inovação – 9

Software – 8

Preço – 5 

Classificação: 9.5/10

Hugo Marques

Autor: Hugo Marques

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Hugo Marques

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar