Um olhar mais sério ao novo LG V30

 

Apresentado durante o dia 31 de agosto, no dia que antecipou a abertura da IFA, o LG V30 trouxe alguma surpresa e confirmações para o mercado. O novo LG V30 surgiu envolto num certo secretismo, porque não houve leaks, falhas ou suposições da imprensa.  

É o novo smartphone da marca sul coreana, mas mais que isso, é uma afirmação. A LG já ‘gozou’ de uma enorme fama na história dos dispositivos móveis, muito pela gama G, modelos que tratam sobejamente a fotografia, o desempenho e inovação. Foram eles os pioneiros com botões na tampa traseira, a incorporarem um comando remoto universal para qualquer dispositivo através de IR, ou a utilizarem um ecrã curvo, etc.  

A marca acabou por se ‘deixar ir abaixo’ no campo dos smartphones, talvez por dar demasiado ouvidos ao mercado. Falava-se Jum ecrã curvo, e heis que surge a LG. Queria-se uma bateria amovível, e não só saía, como tinha ‘friends’. O mercado não correspondeu à aposta, e algo não correu bem na versão G4 e G5. Mas este novo V30 é a prova de que a LG não cruzou os braços e, se já tinha ameaçado o mercado com o recente G6, arremata com este V30.  

 A primeira impressão que deixou é que é ‘sério’, merecedor da história e carisma do V10, o primeiro modelo da gama V, que em 2015 se mostrou arrojado e diferente de tudo o que havia no mercado. A versão V20 já não surgiu no mercado europeu, quiça culpa do ‘irmão’ G5, mas com este V30, a LG confirma que coloca esta gama a um nível superior, num segmento para o utilizador mais exigente. É indiscutivelmente um topo de gama, o porta estandarte da ‘sabedoria’ LG.  

LG V30 versus antecessores.  

É diferente dos seus antecessores indiscutivelmente, e não só em aspecto, design, como em todo o desempenho. Segue a linha do G6, numa simplicidade elegante e bem produzida. O corpo é ainda mais estilizado e ergonómico, longe do peso do aço do V10, ou do alumínio e plástico com rectas e desenho mais vincado do V20. As laterais tornaram-se mais suaves, os cantos ganham uma nova, e maior, curvatura, e é muito homogéneo. Ganha a ergonomia, o manuseio e o conforto de utilização.  

E é surpreendentemente pequeno para o tamanho de ecrã, notando-se claramente todo o trabalho desenvolvido pelos engenheiros, que conseguiram incluir um ecrã maior, com 6,1 polegadas, num corpo mais pequeno que o seu antecessor, o V20. E eu comparei (possuo um). O novo corpo recorre a uma liga de alumínio H-30, que concilia a robustez à leveza, tudo num smartphone com somente 7,3mm de espessura, 158gr de peso e 6,1” de ecrã. E por falar em ecrã, temos de mencionar o nível de protecção Corning Gorilla Glass 5 em ambos os lados, ecrã e traseira. Não só esta protecção, como junta uma norma militar de robustez, durabilidade. 

O desempenho deste novo V30 está entregue ao mais recente, e potente, processador da Qualcomm, o Snapdragon 935, um octacore que faz uso de uma combinação de 4 núcleos Kryo a 2,45GHz e 4 Kryo a 1,9GHz. Este novo V30 surge em duas variantes de memória RAM: 4 GB para a versão de 64GB, ou 6 GB de RAM para 128GB. Esta capacidade pode ser incrementada por meio do slot para microSD, suportando cartões de até 2TB. Surpreendente? Bem, a capacidade deriva muito do que instalamos mas, convenhamos que a qualidade da imagem e vídeo que já hoje se consegue num ‘simples’ smartphone obriga as marcas a incrementarem os gigas disponíveis. E se este smartphone se propõe à qualidade cinematográfica, isso requer espaço.   

Foi por esse factor, funcionalidade que teve honra de apresentação. O LG V30 reforça todo o know how obtido no campo da imagem, herança da gama G, e cimentada nos V10 e V20. Aqui o patamar está mais alto, com maior foco no vídeo, e a qualidade que faz querer ser cinematográfica. Juno Cho, Presidente da divisão de smartphones da LG começou mesmo por esse facto. A necessidade e gosto do consumidor, que cada vez mais capta momentos, não só em imagem, foto, mas em vídeo. E aqui exige-se o melhor. A marca não coloca a fasquia em baixo e alega ser uma nova era, ou marca no campo dos smartphones. Será? E não o dizem todos? Bem, neste caso o V30 surpreende. No modo vídeo possui não só um design da aplicação, como junta novos efeitos directamente. Denominado por Cine Video Mode, uma lista de efeitos são dispostos na barra lateral para um melhor e rápido acesso, de modo fazermos um vídeo diferente e personalizado, e obter o melhor resultado final. Mantêm as características, penso que únicas da LG, de utilizar microfones embutidos que permitem orientar o som do vídeo, ou seja, podemos estar a gravar um vídeo e escolher de onde queremos captar o som. Este factor permite optimizar o som do vídeo produzido, que ao invés de captar ‘um todo’, permite orientar, da parte frontal, traseira ou ambos. A utilização é diversa, e seja em entrevista, onde podemos orientar a captação apenas para a o entrevistado, como a fazer um vídeo com locução, onde não queremos captar o som da acção, mas sim a voz deste lado que a descreve. O acesso a estas funcionalidades é exclusivo do modo manual, que além do som, permite ajustar exposição, valores ISO, abertura de lente, etc. 

O Zoom também inclui novidade. O LG V30 consegue fazer zoom, o que não parece ser novidade, mas ao invés dos demais que apenas aproximam o centro da imagem, no V30 podemos escolher a zona que queremos. A designação é Point Zoom, e funciona como o foco na fotografia, onde se toca, mas nesta vertente aumenta qualquer que seja a zona escolhida, não apenas o centro. E assim não necessitamos de rodar o smartphone até chegar ao ponto desejado. Voilá! 

As câmaras usadas, que continuam a ser duplas, neste V30 utilizam lentes designadas por Crystal Clear Lens. São diferentes, duas câmaras que podem trabalhar em conjunto ou em modo único. Uma ‘normal’ de 13mp secundada por uma uma grande angular de 16mp com uma abertura f/1.6, autofoco laser e detecção de fase. Este facto significa que utilizam uma abertura maior, o que permite uma maior entrada de luz no sensor, o que resulta em mais informação, e melhor qualidade de imagem, principalmente em zonas de menor luminosidade.  

 

O ecrã é único no campo dos smartphones, tornando o V30 no primeiro smartphone a utilizar a tecnologia Oled. Com a designação Oled FullVision display, e ainda inclui tecnologia HDR10. A marca aqui vale-se das suas valências na área das tv’s, transportando a experiência e know-how para este ‘pequeno’ ecrã. O Motores & Tecnologia já tinha falado sobre ele aqui, mas ver é outra coisa. Pormenores, brilhos, detalhes. Uma obra.  

E segundo ecrã? Aquele que surgiu na primeira versão e o diferenciava, que continuou no V20… não há. De facto desapareceu, pelo menos em modo físico. É agora uma barra deslizante, que está escondida na lateral. Cabe ao utilizador a escolha, mas basta ir a preferências, General, fazer scroll até à opção Floating Bar e surge no ecrã. É possível personalizar, desde aplicações, contactos, etc. Pode ainda ser colocada onde o utilizador desejar, bastando arrastar com o dedo para o local desejado. 

O som e tudo o que deriva dele tem a chancela da marca B&O. 

Outra das novidades deste novo LG é a realidade aumentada com assinatura da Google, com tecnologia Daydream. Este factor não interessa apenas à diversão ou jogos, mas na educação, conteúdos, etc. 

A assistente pessoal também surge neste V30, e pode-se ‘acordar’ com frases que podemos definir (em inglês). O Google Assistant está enraizado neste LG, e não só permite aceder a aplicações por voz, como a fotografia, e inclusive permite aceder a parâmetros e mudar, tudo sem tocar no ecrã. Alarga o conceito a toda a rede de electrodomésticos da marca, conseguindo fazer um emparelhamento entre dispositivos e ditar ordens. Sim ordens como lavar roupa, etc, tudo no nosso smartphone e directamente para a máquina de lavar. Ou aspirador…ou máquina de lavar loiça, ou secar roupa, um mundo doméstico tão exigente como necessário. E agora parece mais fácil. 

Como outras características salientamos a conactividade WiFi 802.11 a/b/g/n/ac, Bluetooth 5.0, GPS/A-GPS/GLONASS, NFC, infravermelho, USB-C 1.0, leitor de digitais, a certificação IP68 que lhe permite resistir a poeiras e mergulhos (atenção aos limites), e uma bateria de 3300mAh com carregamento rápido por indução.

Óscar Rocha

Autor: Óscar Rocha

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Óscar Rocha

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar