Volkswagen Golf 2017

Já foi revelado o facelift da versão 2017 para a gama Golf que se deverá manter inalterado até ao lançamento da oitava geração do Golf em 2019.

A nível de design do best seller alemão as alterações são ligeiras, com um pára-choques frontal redesenhado, novas ópticas com LEDs de presença (sempre ligados para condução diurna) e um novo feixe LED para condução noturna, em substituição das anteriores lâmpadas de Xenon. Os stops traseiros também passam a ser integralmente em LEDs e são ligeiramente mais largos, ao passo que a grelha frontal sofre apenas pequenos retoques. Para fechar as alterações estéticas, a Volkswagen decidiu incluir uma nova linha de jantes e novas cores exteriores.

No interior, todas as variantes contam agora com o novo sistema de informação/navegação. Nota para o display central que possui duas variantes, 6.5″ ou 9.2″ e uma resolução de 1280×640, dependendo  da versão de equipamento que adquirirmos .

O display é controlado por toque, voz e gestos. O sistema de gestos pode ser utilizado para navegar nos menús, mudar estações de rádio ou mudar a faixa da música, bastando acenanar a mão em frente ao sensor. Os convencionais instrumentos (conta quilómetros e conta rotações), foram substituídos pelo mais recente sistema Active Info Display do grupo VW, à imagem do que tem sucedido com outra marca do grupo, a Audi. Basicamente trata-se de um painel LCD com 12.3″ em que toda a informação é ‘desenhada’ no ecrã. Através de comandos no volante a informação pode ser alternada, passando pela mais variada informação, inclusive pelos mapas de navegação. No entanto o sistema de gestos só estará disponível na versão de equipamento ‘Discover Pro’.A compatibilidade com os mais recentes sistemas da Apple Car Play e Android Auto está assegurada.

A maior novidade motriz prende-se com a nova motorização 1.5 TSi Evo, que substitui o anterior 1.4 TSi. Este novo bloco debita 148cv e 184N.m às 1.500rpm. Uma outra variante de nome BlueMotion deste mesmo motor, mas com 128cv e um binário de 147N.m às 1.400rpm, destaca-se pelo consumo anunciado de 3.8 litros aos 100km. Esta última versão conta com tecnologia avançada que controla, e desliga, o motor quando o condutor larga o acelerador, ficando apenas activos a assistência eléctrica do volante e da travagem, reduzindo assim o consumo de combustível.

Apesar de ser quase certo a presença dos motores diesel 1.600cc e 2.000cc, existem rumores de um novo motor turbo diesel de 1.500cc para substituir o actual 1.600cc. No entanto a VW está nitidamente a apostar nos gasolina e eléctricos, desde o fiasco com os diesel que ainda assombra o grupo.

Para os puristas a marca não esqueceu o modelo desportivo, e a sigla GTI surge com o mesmo bloco de 2.000cc que já tem equipado as últimas gerações, mas revisto e com um aumento de potência para os 227cv, um incremento de 10cv face ao actual modelo. Existirá ainda uma versão GTI ‘perfomance’ com 241cv.

Para os ‘verdes’ , a versão híbrida GTE retém as mesmas especificações que o actual modelo, com uma potência combinada entre o motor a gasolina e o motor eléctrico de 201cv. 

Comum a toda a gama vai ser também a nova caixa de 7 velocidades de dupla embraiagem que será disponibilizada como opção à caixa manual.

Hugo Marques

Autor: Hugo Marques

Fundador e Editor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Hugo Marques

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar