Let’s go for a spin?

Uma das últimas apostas da Yamaha no mercado chama-se MT-10 SP, mais conhecida na província japonesa por “Naked Streetfighter”. A Yamaha criou esta mota com inspirações na famosa “YZF-R1” mas com um estilo “Naked”.O estilo que demonstra, sobressai aos anteriores modelos “MT”. Esta versão, é uma actualização da MT-10, mas com algumas alterações que a tornam mais exclusiva e apetecível como por exemplo o novo sistema quickshifter (sistema de mudanças rápidas) e um novo mapa de motor que suaviza a ação do acelerador ao longo de todo o regime.

Falando em termos mecânicos, usurpa de um motor “crossplane” com 998cc , refrigeração líquida, a quatro tempos, quatro válvulas por cilindro e sistema DOHC (Dupla Árvore de Cames à Cabeça), à semelhança do motor da actual YZF-R1. Novidade ainda para o novo sistema de embraiagem “Assist & Slipper (A&S) clutch”, que além possibilitar a utilização de molas muito mais fracas, o que se reflecte numa embraiagem super confortavel quase sem pressão, permite melhorar a maneira como o binário é entregue à roda em aceleração ou desaceleração.

Destaque para o sistema de escape 4-2-1 completamente em titânio, e ainda melhorias internas a nível de redução de peso e inércia do motor para completar o carácter SP comparativamente à normal M10.

Ainda a nível electrónico vem quipada com o mesmo sistema de tração encontrado na R1, e conta com Cruise Control o que para viagens maiores é uma dádiva.

A nível ciclístico, a suspensão da frente foi substituida por umas suspensões eletrónicas Öhlins (ERS – Electronic Racing Suspension) com 41 mm, ajustável em compressão e extensão e ainda um sistema de controle de suspensão (SCU -Suspension Control Unit). O SCU existente também na R1, analiza através de uma série de sensores o comportamento da suspensão e actua em décimas de segundo com correções a nível de compressão e retorno da suspensão (rebound) de acordo com o piso e comportamento do condutor. O objectivo é melhorar o conforto e aderência. Os vários modos do SCU podem ser controlados a partir de um switch no guiador e toda a informação é visível no novo painel de instrumentos TFT a cores exclusivo desta versão. Os discos de travão de 320mm são assistidos por ABS.

A versão SP só vem com uma opção de cor, prata/azul/carbono, o que, compreensivelmente, dá ainda um outro assentimento para a YZF-R1M, a partir do qual pede emprestado não só o hardware como também o software. Esta mota irá estar disponível a meados de Fevereiro de 2017, mas não se sabe ainda dados sobre o seu valor.

 

Mauro Segundo

Autor: Mauro Segundo

Contribuidor do Motores & Tecnologia
Enviar E-Mail para: Mauro Segundo

%d bloggers like this:

Ao continuar a navegar em mtech.com.pt, aceita a utilização de cookies. mais informação

As definições de cookies neste website estão em "permitir cookies" de modo a propiciar a melhor experiência de navegação possível, Se continuar a navegar neste website sem alterar as definições dos cookies, ou se clicar em Aceitar estará a consentir a utilização de cookies.

Fechar